Escolha uma Página

 

A ideia do post de hoje é te inspirar a procurar novas fontes de conhecimento e enriquecer o seu meu modo de cozinhar e entender a comida. Desde que a internet entrou na minha vida aos 16 anos, nunca mais consegui viver de forma desconectada. Criei o meu primeiro blog em 1999, quando ninguém sabia direito o que fazer com essa nova plataforma. Mas me vi encantada em poder trocar uma palavrinha com as pessoas sobre coisas que eu achava legal e etc. Claro que com 18/19 anos eu era tão verdinha que muitas coisas que pensava e fazia hoje não teriam o menor sentido, mas se teve uma coisa que eu aprendi ao longo desse caminho é que temos muito a aprender e comecei a ficar àvida por conhecimento culinário em 2007/2008 quando descidi criar um blog de culinária. 

Nesse momento a minha jornada foi de pesquisa e aprendizado, com o Na Cozinha Dela, tive a curiosidade de pesquisar receitas e com isso minha paixão por blogs de culinária só cresceu. Conteúdo, boas fotos e receitas muito nutritivas despertavam a minha curiosidade e formas diferentes de preparar o mesmo prato também. Usar ingredientes alternativos e fazer coisas incríveis realmente foi um dos pilares das minhas pesquisas por aí. Em 2010, quando abri a NutriChef desenvolvi um portfolio para atender os pacientes e foi nos blogs mais maravilhosos que encontrei inspiração para desenvolver receitas adequadas nutricionalmente para cada dieta. Fiquei um pouco surpresa ao descobrir poucos blogs de qualidade em português, por isso, precisei queimar alguns neurônios para ler receitas em inglês, sem saber quase nada da língua. Os blogs que mais usei de inspiração foram o Green Kitchen Stories e o My New Roots. Ambos com uma pegada mais natural e com ingredientes bem diferentes dos que encontramos no Brasil. Minha necessidade então foi de adaptar, modificar… por estar em contato com esses blogs, muitas vezes descobri ingredientes novos, super funcionais e que demorariam pelo menos uns 4 anos para chegarem por aqui. O que hoje é moda aqui já é usado em outros países tem muito tempo… Mas isso é uma conversa para outro dia.
A verdade, é que por gostar de pesquisar receitas e desenvolver algo a partir delas, minha busca nunca para, nunca me dou por satisfeita. E fico feliz em ver que cada vez mais Nutricionistas e Chefs estão entrando nesse universo e publicando seus achados e formas de preparo. Ultimamente alguns desses Chefs me inspiram quase todos os dias. Alguns nomes para citar são: Amabile Kolenda (a quem chamo de amiga e tenho um carinho enooooorme), Patrícia Helu (meu xodó do momento, menina linda, super do bem e cheia de ideias incríveis), Tati Lund (com essa aprendi demais, desde o programa Tati com Limão até o Cozinha.org – ambos maravilhosos). E todo esse enredo de hoje foi para dizer que essa receitinha é da querida da Patrícia Helu. Sim, eu falo demais, mas acho que é porque tenho muita história para contar. kkkk #contadoradecauso. Sem mais delongas, segue a receita da moça. Ah! e como disse no início do post, busque inspiração em receitas como essa para você mudar aos poucos a forma como cozinha e também como come.

Biomassa de Banana

Ingredientes:

  • 4 bananas prata bem verdes
  • Quanto baste de água para cozinhar

Modo de preparo:

Corte a banana verde do cacho com a ajuda de uma faca ou tesoura, lave as bananas e leve para a panela de pressão com água suficiente para cobri-las. Tampe a panela, leve ao fogo e quando atingir a pressão, abaixe o fogo e deixe ferver por oito minutos. Desligue o fogo e espere a pressão sair naturalmente. Abra a panela de pressão com cuidado, retire as bananas, abra a casca com uma faca e retire a polpa e reserve a casca, leve ainda bem quente ao liquidificador e bata com um pouco de água até virar uma pasta bem cremosa. Congele em porções menores para usar nas receitas que desejar.

 Pasta de casca de banana: retire as cascas das bananas verdes cozidas e leve para o liquidificador. Bata com um pouco de água quente até obter uma pasta uniforme e grossa. Use nas receitas que desejar.

 

Cracker de milho

Ingredientes:

  • ¼ de xícara de chá de pasta de casca de banana da biomassa 
  • ¼ de xícara de chá de fubá ou quanto baste (usei pelo menos 1 xícara para dar ponto, pois bati a casca com muita água – #observe)
  • 1 colher de sopa de azeite de oliva
  • 3 colheres de sopa de semente de linhaça dourada
  • Sal e lemon pepper a gosto

Modo de preparo:

Misture todos os ingredientes até formar uma massinha. Com as mãos umedecidas, abra a massa em uma assadeira, deixando-a bem fina. Asse em forno, pré-aquecido à 200°C, até dourar e ficar crocante. Se necessário vire a massa para dourar de forma mais uniforme.

Na imagem você pode ver que acrescentei um pouco de sementes sobre a massa para dar um charme a mais na receita. Mas, isso é opcional.

Quando faço biscoitinhos gosto de marcar com uma faca para depois quebrar. Assim acho mais fácil.