Escolha uma Página

Mais uma salada para você aprender!


Se lançar em novos desafios é uma das experiências mais difíceis para quem tem transtorno de ansiedade como eu. Ao longo do tempo sempre fica mais fácil deixar algo de lado por acreditarmos que não daríamos conta. No meu caso, tenho muitos papéis para desempenhar e o blog fica aqui em terceiro, quarto, até quinto plano na minha vida. Volto aqui quando dá aquela saudadezinha de compartilhar algo. Ultimamente tenho sido mais ativa no instagram por ser uma ferramenta mais fácil de editar e que não requer tantos detalhes a cada postagem. Aqui gosto de devagar um pouco e preciso fazer isso quando a cabeça está meio cheia de coisas.

Na virada do ano me propus o desafio de começar um canal no youtube, criar e-books e publicar receitas diariamente no meu instagram pessoal. Tem sido uma jornada interessante. Além de rolar uma ótima troca entre mim e os seguidores, me vi com mais vontade ainda de cozinhar. A única coisa que ainda atrabalha um pouco a qualidade das postagens é que como cozinho a noite, as fotos dos posts não fica das melhores.  Luz natural pela manhã é a melhor para trabalhar as fotos de comida. Mas, mesmo assim, desencanei e, quando não dá pra tirar fotos muito claras eu publico mesmo assim, A Tâmara de antigamente tinha tanta preocupação com a perfeição que era difícil eu estar totalmente satisfeita com um trabalho. Sempre achei que podia estar melhor e deixava o projeto de lado por não ter gostado do resultado. Essa pessoa ansiosa, preocupada, perfeccionista, agitada ainda vive em mim, mas estou conseguindo domá-la pouco a pouco. Não é atoa que mesmo os vídeos não estando perfeitos, a luz não ser das melhores e estarmos apanhando com a edição, publico sem medo. Outro dia uma aluna (@bomboni_br) que mora em Recife elogiou muito o primeiro vídeo e eu na mesma hora disse: Nossa, eu fiquei com tanto medo de não ter ficado bom, das pessoas não gostarem! E sabe o que ela me respondeu? – Vai com medo mesmo! Naquele momento aquela frase me bateu em cheio e percebi que era isso mesmo. Tinha que ir em frente, sem medo. 

Foi assim que consegui ir em frente, filmar o segundo episódio, publicar e continuar encarando os meus obstáculos com a perspectiva de que no fim tudo vai dar certo. Sempre haverá quem não goste do que você faz. Isso é uma certeza. Mas, se eu não fizer por que essa possibilidade me paralisa, outras pessoas que buscam esse tipo de conteúdo não terão acesso ao que eu posso passar para frente de conhecimento, conteúdo, diversão.

No segundo episódio eu escolhi fazer uma receita que eu simplemente amo e fiquei encantada desde a primeira vez que eu fiz. Beterrada é um alimento tão importante que seria bobagem você não experimentar uma forma de deixá-la super gostosa e permitir que o seu corpo se nutra de todas as benécies que essa raíz pode trazer para o seu corpo.

Beterraba é uma ótima fonte de vitamina B9 (ácido fólico) e Manganês. Dentre as funções do ácido fólico podemos destacar sua importância para uma função cerebral adequada e desempenho da capacidade cognitiva. Além disso, alguns estudos apontam que essa vitamina do complexo B atua na manutenção da boa saúde mental e emocional. Já o manganês exerce ação hipoglicemiante, auxiliando o nosso corpo a lidar com a carga glicêmica ingerida e também atua no metabolismo das gorduras, facilitando sua utilização nos tecidos que as necessitam. Basta uma beterraba pequena para fornecer 22% da ingestão diária de vitamina B9 e 13% de manganês.

Como preparar a beterraba:

– 2 ou 3 beterrabas pequenas cortados em quatro partes iguais
– 2 colheres de sopa de azeite
– 1 1/2 colheres de sopa de vinagre balsâmico
– 1 dente de alho bem picado
– 1 colher de chá cheia de orégano seco
– sal e pimenta do reino a gosto

Modo de preparo:

Em uma assadeira, coloque uma folha dupla de papel alumínio. Arrume as beterrabas no centro da folha e distribua os demais ingredientes. Feche o papel alumínio como se tivesse fazendo uma trouxinha e leve ao forno pré-aquecido à 200°C por 40min. se desejar que a beterraba fique mais macia, deixe por 1h. Retire do forno, espere esfriar a abra o pacotinho. Monte a salada em seguida.

Como preparar o molho:

– 1 colher de sopa de vinagre balsâmico

– 3  colheres de sopa de azeite de oliva

– sal e pimenta do reino à gosto

Modo de preparo:

Coloque todos os ingredientes em um recipiente e agite com um garfo ou fouet até obter um molho cremoso e homogêneo. Se quiser algo mais prático, faça como no vídeo, coloque em um recipiente de vidro com tampa e agite até que tudo esteja bem misturado.

 Para o preparo das castanhas:

– 1/4 de xícara de chá de castanha de caju
– 1/4 de xícara de chá de castanha do pará
– 1/4 de xícara de chá de amêndoas
– 1 pitada generosa de garam masala (pode substituir por canela, cúrucuma e cominho)
– sal e pimenta do reino a gosto

Modo de preparo:

Em uma frigideira coloque as castanhas, previamente picadas, e toste por alguns minutos em fogo médio. Tempere com sal, pimenta do reino e garam masala. Quando as castanhas estiverem douradas, desligue o fogo e deixe esfriar antes de montar a salada.

SUGESTÃO DE FOLHAS PARA A MONTAGEM: alface mimosa baby verde e roxa, alface americana

Como fazer saladas deliciosas

É engraçado como a vida se transforma. Estava lendo meu post anterior, de agosto de 2018 e não imaginava que começaria 2019 com um novo post, muito menos que seria com uma vibe tão positiva e cheia de energia. Nessa virada de ano (#literalmente), eu e meu marido, decidimos começar uma nova jornada profissional. Eu, decidi que queria alcançar pessoas em outros lugares do Brasil (#quemsabedomundo #borasonhar) com o que sei sobre Nutrição e Gastronomia e ele, queria arriscar uma nova profissão juntando toda a sua bagagem de conhecimento em mídia social e marketing digital. Foi assim que surgiu a idéia de disponibilizar o meu conteúdo on-line. Afinal de contas, são mais de 10 anos de carreira e só de Nutrichef já são 9 anos. Uma enorme quantidade de alunos passam pela Nutrichef todos os anos e tive a honra de poder ensinar muitas pessoas a arte de cozinhar. Esse pé inicial, aquele primeirinho na cozinha a gente não esquece e quando aprende algo realmente relevante leva pra vida toda. Tenho muito carinho por todos os alunos que passaram pela minha cozinha, aprenderam e depois replicaram esse conhecimento.

Minha vontade de fazer gastronomia foi motivada pelos programas do Jamie Oliver e depois de formada tive o privilégio de ser embaixadora da Fundação Jamie Oliver e sediar três edições do Food Revolution Day. Na primeira live que tive com ele numa plataforma chamada Vine (se não me falhe a memória) a grande revolução proposta era aprender uma receita e ensinar aquela receita para mais três pesssoas. Isso, naquele instante, simplemente pirou a minha cabeça. Imagine uma onda imensa de mudança de hábitos que pode ser causada somente por que você aprendeu uma receita, fez para três pessoas, elas aprenderam e cada uma delas ensinarou para mais três. Mano do céu! É muito revolucionário. 

Foi pensando nisso, que imaginei começar os vídeos com uma proposta mais simples, que todos possam fazer. Portanto, escolhi dar aquela forcinha para quem quer começar a adquirir novos hábitos alimentares em 2019 e preparei em vídeo, algumas receitas de saladas que junto com meu maridinho disponilizaremos no Youtube. Já tinha alguns vídeos publicados de uma tentativa anterior de criar conteúdo para essa plataforma e seguimos com o mesmo canal, mas dessa vez, fizemos tudo sozinhos. Instalamos luz, decoramos o cenário, filmamos, editamos. Todos os detalhes que você possa imaginar foram feitos por nossas mãozinhas. Isso dá um orgulho, mas também dá medo, né? Vai que o povo não gosta. Eu decidi ouvir os conselhos que me deram e fui com medo mesmo. O primeiro vídeo está pronto, já está no ar e junto com ele fizemos um outro com uma receitinha extra de molho que está sensacional. E o principal, com os vídeos posso atingir mais pessoas, encorajar que repliquem a receita em casa e mais, que ensinem para outras pessoas, ou simplesmente compartilhem os vídeos. Não é incrível isso?

E quem pensa que é um tema que ninguém se interessa, tenho certeza que você só não come mais salada por que falta criatividade e uns molhinhos gostosos. Sem falar, que talvez não saiba todos os benefícios que isso pode trazer para sua saúde. Começar a comer salada é assim: primeiro você faz uma, depois muda o molho, experimenta uma nova folha e aos poucos vai criando o hábito e se apaixonando. Duvida? Então está lançado o desafio. Vamos juntos fazer saladas deliciosas e começar a ter uma vida mais saudável. Se você começar acrescentando isso no seu dia-a-dia o impacto na sua saúde já vai ser grande. Confia em mim!

Vai uma saladinha?

Nossa, quanto tempo não posto uma receitinha por aqui. Ando muito corrida com alguns projetos em andamento, mas não só isso! Acho que nunca contei para ninguém fora da minha rede de amigos sobre o meu transtorno de ansiedade. Temos tido momentos difíceis, mas estou seguindo em frente. Depressão, transforno de ansiedade e síndrome do pânico são três condições psicológicas com as quais lido desde sempre. Depressão desde os 13, ansiedade desde os 18 e pânico mais recentemente, mas com o qual convivo desde 2014. É muito importante a gente se conhecer para ter a idéia de que algo de errado está acontecendo. Não foi o meu caso, como boa Sagitariana, sempre deixei a vida me levar sem me preocupar com muita coisa, mas a necessidade de ter certezas na vida me fizeram ter medo do futuro, me ressentir sobre o passado e não viver o agora. Estou vivendo a praticamente 4 anos com uma agonia tremenda, que tem seus altos e baixos, mas que não me abandona. E com essa agonia vem, o que eu classifico como o pior de todos os sintomas, a insônia. Não poder dormir plenamente e sentir o seu corpo descansado no dia seguinte tem me deixado em frangalhos. E é por esse motivo que 

não estou conseguindo vir aqui com tanta frequência. Quando decidi retomar o blog, queria estar sempre conectada com essa minha essência de criar receitas, testar novos sabores, que é uma das características que mais me instigam na gastronomia. Mas não estar bem consigo mesmo, não permite que você tenha vontade de fazer mesmo aquilo que mais ama. E atrelado a isso, meus compromissos profissionais com as três empresas que toco não estão me dando espaço na agenda para me dedicar a quase nada além do trabalho. Recentemente cancelei minhas aulas na Nutrichef para me dar um período de novos desafios e propor aulas novas, além de desenvolviver um material mais rico em informações para os alunos que acompanham as aulas sem glúten e sem lácteos. Na De Amores, também estou me dedicando a aprimorar nosso cardápio e trazer delícias novas para manter a clientela sempre interessada e com isso, se vão muitas horas de pesquisa e de testes, busca de fornecedores e troca de experiências com colegas da área. Na Cozinha Personalizada, estou com as consultorias em residência e duas empresas em fase final de projeto. Ou seja, muita coisa na cabeça pra pensar e muita ansiedade acompanhando cada passo. Há de haver muita paciência, suspiros profundos e concentração para uma cabeça tão fervorosa não entrar em ebulição, né?

Foi pensando em toda essa ferveção na minha cabeça que decidi criar um plano de ação que não me deixe louca e que me permita fazer tudo que eu preciso. Dividi meus dias em etapas e nessas etapas faço um número x de coisas referentes a cada empresa. E sobra um tempinho para o lazer? Por enquanto tem sobrado pouco tempo, mas sempre antes de dormir assisto uma série, leio um livro e nos finais de semana pretendo não pensar em trabalho (oi?). Vamos ver como vai ser essa parada daqui alguns meses. Esse post não é uma promessa de voltar a postar constantemente. Por enquanto vou fazendo o que me sinto a vontade para fazer e lidando aos poucos com todos os desafios…

Como vocês sabem eu falo muito, mil rodeios antes de chegar no ponto. Portanto aqui vem a virada desse post. Quando eu atendia em consultório, vez ou outra ouvia dos pacientes que não havia tempo para fazer as receitas propostas e realmente, quando comecei a ficar mais ocupada, cozinhar foi uma das coisas que tirei da rotina sem nem pensar duas vezes. Mas, pra quem sempre comia em casa e fazia a própria comida, comer fora de casa começou a não fazer tanto sentido e comecei a sentir falta real. Então, para suprir isso passei a fazer o jantar de uma maneira mais rápida usando o forno para quase tudo. O que é bom em usar o forno é que deixamos o preparo todo com ele, se a receita precisar de 40min para ficar pronta, temos esse tempo para dedicar a outra coisa. E foi assim, que cozinhar em casa novamente voltou a fazer parte da rotina. A receita de hoje é fácil e você vai precisar de muito pouco para preparar. Segue a receita!

Ingredientes:

 10 a 20 fatias de abóbora de pescoço (baiana/goiana) cortada em fatias finas

1 colher de sopa de azeite

Sal e pimenta do reino moída na hora

1 punhado generoso de folhas novas

1 colher de sopa de mistura de sementes: gergelim preto, chia, linhaça

 

Modo de preparo:

Pré-aqueça o forno a 200°C. Usando uma mandolina, fatie a parte mais fina e comprida da abóbora (pode ser com casca mesmo) em lâminas finas. Em uma assadeira, posicione a fatia de abóbora e regue com 1 colher de sopa de azeite e tempere com sal e pimenta do reino. Leve ao forno e asse por 10-15min ou até que estejam douradas e crocantes. Retire e deixe esfriar. Para servir, posicione as folhas em prato e ao lado as fatias de abóbora, regue com o molho de sua escolha e sirva.

Eu escolheria ainda algum tipo de queijo fresco para colocar por cima e uma castanha. Nesse caso, queijo de cabra e castanha do pará finalizariam o prato muito bem.

Atendendo à pedidos: cracker de milho e sementes

 

A ideia do post de hoje é te inspirar a procurar novas fontes de conhecimento e enriquecer o seu meu modo de cozinhar e entender a comida. Desde que a internet entrou na minha vida aos 16 anos, nunca mais consegui viver de forma desconectada. Criei o meu primeiro blog em 1999, quando ninguém sabia direito o que fazer com essa nova plataforma. Mas me vi encantada em poder trocar uma palavrinha com as pessoas sobre coisas que eu achava legal e etc. Claro que com 18/19 anos eu era tão verdinha que muitas coisas que pensava e fazia hoje não teriam o menor sentido, mas se teve uma coisa que eu aprendi ao longo desse caminho é que temos muito a aprender e comecei a ficar àvida por conhecimento culinário em 2007/2008 quando descidi criar um blog de culinária. 

Nesse momento a minha jornada foi de pesquisa e aprendizado, com o Na Cozinha Dela, tive a curiosidade de pesquisar receitas e com isso minha paixão por blogs de culinária só cresceu. Conteúdo, boas fotos e receitas muito nutritivas despertavam a minha curiosidade e formas diferentes de preparar o mesmo prato também. Usar ingredientes alternativos e fazer coisas incríveis realmente foi um dos pilares das minhas pesquisas por aí. Em 2010, quando abri a NutriChef desenvolvi um portfolio para atender os pacientes e foi nos blogs mais maravilhosos que encontrei inspiração para desenvolver receitas adequadas nutricionalmente para cada dieta. Fiquei um pouco surpresa ao descobrir poucos blogs de qualidade em português, por isso, precisei queimar alguns neurônios para ler receitas em inglês, sem saber quase nada da língua. Os blogs que mais usei de inspiração foram o Green Kitchen Stories e o My New Roots. Ambos com uma pegada mais natural e com ingredientes bem diferentes dos que encontramos no Brasil. Minha necessidade então foi de adaptar, modificar… por estar em contato com esses blogs, muitas vezes descobri ingredientes novos, super funcionais e que demorariam pelo menos uns 4 anos para chegarem por aqui. O que hoje é moda aqui já é usado em outros países tem muito tempo… Mas isso é uma conversa para outro dia.
A verdade, é que por gostar de pesquisar receitas e desenvolver algo a partir delas, minha busca nunca para, nunca me dou por satisfeita. E fico feliz em ver que cada vez mais Nutricionistas e Chefs estão entrando nesse universo e publicando seus achados e formas de preparo. Ultimamente alguns desses Chefs me inspiram quase todos os dias. Alguns nomes para citar são: Amabile Kolenda (a quem chamo de amiga e tenho um carinho enooooorme), Patrícia Helu (meu xodó do momento, menina linda, super do bem e cheia de ideias incríveis), Tati Lund (com essa aprendi demais, desde o programa Tati com Limão até o Cozinha.org – ambos maravilhosos). E todo esse enredo de hoje foi para dizer que essa receitinha é da querida da Patrícia Helu. Sim, eu falo demais, mas acho que é porque tenho muita história para contar. kkkk #contadoradecauso. Sem mais delongas, segue a receita da moça. Ah! e como disse no início do post, busque inspiração em receitas como essa para você mudar aos poucos a forma como cozinha e também como come.

Biomassa de Banana

Ingredientes:

  • 4 bananas prata bem verdes
  • Quanto baste de água para cozinhar

Modo de preparo:

Corte a banana verde do cacho com a ajuda de uma faca ou tesoura, lave as bananas e leve para a panela de pressão com água suficiente para cobri-las. Tampe a panela, leve ao fogo e quando atingir a pressão, abaixe o fogo e deixe ferver por oito minutos. Desligue o fogo e espere a pressão sair naturalmente. Abra a panela de pressão com cuidado, retire as bananas, abra a casca com uma faca e retire a polpa e reserve a casca, leve ainda bem quente ao liquidificador e bata com um pouco de água até virar uma pasta bem cremosa. Congele em porções menores para usar nas receitas que desejar.

 Pasta de casca de banana: retire as cascas das bananas verdes cozidas e leve para o liquidificador. Bata com um pouco de água quente até obter uma pasta uniforme e grossa. Use nas receitas que desejar.

 

Cracker de milho

Ingredientes:

  • ¼ de xícara de chá de pasta de casca de banana da biomassa 
  • ¼ de xícara de chá de fubá ou quanto baste (usei pelo menos 1 xícara para dar ponto, pois bati a casca com muita água – #observe)
  • 1 colher de sopa de azeite de oliva
  • 3 colheres de sopa de semente de linhaça dourada
  • Sal e lemon pepper a gosto

Modo de preparo:

Misture todos os ingredientes até formar uma massinha. Com as mãos umedecidas, abra a massa em uma assadeira, deixando-a bem fina. Asse em forno, pré-aquecido à 200°C, até dourar e ficar crocante. Se necessário vire a massa para dourar de forma mais uniforme.

Na imagem você pode ver que acrescentei um pouco de sementes sobre a massa para dar um charme a mais na receita. Mas, isso é opcional.

Quando faço biscoitinhos gosto de marcar com uma faca para depois quebrar. Assim acho mais fácil.

Um jeitinho para você comer mais vegetais


Na época em que atendia como Nutricionista no consultório da NutriChef me preocupava em sempre renovar o portifólio de receitas de vegetais. Como disse no nesse post aqui, mudar a forma de preparar o alimento pode fazer grande diferença na inserção desse ingrediente na sua alimentação. Isso, principalmente, quando falamos de pessoas com um paladar mais infantil e não têm costume de comer verduras com frequência. Como sempre atrelei o atendimento de consultório com um plano alimentar cheio de receitas e mais aulas de culinária, já tive muitos pacientes e alunos que não faziam ideia como era possível mudar os alimentos com uma simples mudança no modo de preparo. Esse é o caso da receita de hoje. A minha dica para essa receita sempre foi a de escolher 4 tipos de vegetais que você não tem costume de preparar e usar os temperos e demais ingredientes propostos na prepação para você abrir seu leque de opções. Uma cartela incrível de combinações e sabores pode surgir daí. Outra dica fantástica dessa receita é que você pode fazer com qualquer vegetal que tenha na geladeira. Ou seja, aquele final de feira, que já não tem quase nada à disposição, male mal metade de uma cenoura e um tomate… preocupa não que até assim esse prato vai ficar divino, ma – ra – vi – lho – so. #fazdebobanão e segue a receita…

Ingredientes:

  • 3 xícaras de chá de vegetais variados picados (sugestões: cenoura, repolho roxo, beterraba, abóbora)
  • 1 cebola pequena picada
  • 1 talo de alho-poró
  • 5 colheres de sopa de azeite extra virgem
  • 6 raminhos de tomilho fresco
  • sal e pimenta do reino a gosto
  • 3 colheres de sopa rasa de mel, melado, maple syrup ou agave

Modo de preparo:

Pré-aqueça o forno a 200°C. Corte todos os vegetais escolhidos em pedaços iguais e transfira para uma tigela grande. Adicione o azeite, o mel e o tomilho e misture bem. Tempere a gosto com sal e pimenta do reino. Misture bem para cobrir todos os legumes. Espalhe os vegetais em um papel manteiga numa assadeira forrada. Leve ao forno por 40-50 minutos até que fiquem macios.